Capital Fashion Week – Segundo Dia

15 08 2009

O segundo dia de CFW teve coleções conceituais, de grupos de artesões, beachwear e até desfile só de sapatos. Confiram as fotos.

—-

3819128720_6fff2a935a3818319349_3158f5d51f75

Sandra Lima

A estilista apresentou uma coleção conceitual apenas com 7 looks, discutindo sobre o corpo e suas transformações, e para isso apresentou uma coleção de macacões preto como bodies e estruturas orgânicas feitas com tecido de revestimento para bojo, que lembravam golas, boleres e coletes de pele em uma mutação bem interessante. Sandra Lima quis fazer pensar, e não vender…

848891

Concretamente Brasília

A estréia da marca que representa o trabalho das artesãs do grupo de empreendedorismo social do Sebrae-DF foi bastante aguardada, surpreendendo à todos com uma coleção inspirada em niemeyer e na arquitetura de Brasília, mas que olhava o lado simples de se ver (e viver) desses artesões nessa cidade. Trabalho impecável!

3819444394_d547fab3bf3818544157_fe6b1b007f

SeteMares

1013819528362_0eda867b28

2Tempos

Mauricio Medeiros

Maurício Medeiros

——

Fotos: Cristiano Sérgio/Fotoforum

Anúncios




Casa de Criadores – Projeto Lab

31 05 2009

O Projeto Lab é o espaço para os novíssimos estilistas do calendário da Casa de Criadores. Na última quinta desfilaram Mahogany, Danilo Costa, Twooin, Arnaldo Ventura e Jadson Raniere.

Mahogany - Casa de CriadoresDanilo Costa - Casa de Criadores

Minha estampa é vintage Inspirada (ainda) pelos anos 70, a Mahogany (Foto 01) trabalhou uma estampa de esmaltes com cara e cor bem vintage que foi o destaque desse desfile. Com carinha vintage também veio o ursinho da camiseta do estreante Danilo Costa (Foto 02).

Danilo Costa - Casa de CriadoresDanilo Costa - Casa de Criadores

Homem + Infantil + Glam Daniel Costa foi o único selecionado este ano para o Projeto Lab. Sua coleção trouxe elementos do universo infantil, como ursinhos, balões e pijamas à uma silhueta ajustada, com aplicações de tachas (de coração), óculos imensos e bolsas com corrente. Bom, não precisa falar mais nada, não deu pra entender muito tudo isso junto, apesar de umas coisas boas (como as camisetas) e cores na medida. Admito que gostei da sunga resinada (foto 01) e do jogo de desconstrução frente-costa nas camisas (foto 02). Mas por quê aquela cara de ursinho em um look de sunga?

Twooin - Casa de CriadoresTwooin - Casa de Criadores

Pequenas Coisas Pensando em coisas agradáveis de se viver como dormir e andar de bicicleta, a Twooin trouxe para a passarelas referências do homewear, listras, e um jogo de degradê que deu certo em algumas peças, além de experimentar uma pequena-grande coisa dessa vida, a caneta bic, para criar uma espécie de cartucheira (foto 01) e franjas em algumas peças (foto 02).

Jadison Raniere - Casa de CriadoresJadison Raniere - Casa de Criadores

Pirata Contemporâneo A coleção de Jadson Raniere, inspirada no universo dos piratas, apesar de ter roupas desejáveis, não criou grandes arroubos quando desfilou na passarela. O destaque mesmo ficou para os mega chapéus de palha que desfilaram, os maiores que eu já vi.

Arnaldo Ventura - Casa dos CriadoresArnaldo Ventura - Arnaldo Ventura - Casa de CriadoresArnaldo Ventura - Casa de Criadores

Protesto Elegante A coleção de Arnaldo Ventura veio com a proposição de ser um protesto, mas não precisava. Tinha bons tecidos e modelagem pensada, com boas construções de manga e uma coleção muito bem amarrada. A base são os elementos militares como os bolsos, usados em quase todos os looks, aliados a elementos étnicos, como turbantes e burcas, que nesse caso são repletas de paetês, exemplo do poder dessa mulher que Arnaldo desenhou. A silhueta é mais oitentista, mas o mix de produtos é extenso, apesar de muito amarrado pelo uso de bolso, botões e cores como o areia (cácqui), mas com tons de vermelho bem elegantes. Enfim, na minha opinião a melhor coleção no Projeto Lab dessa edição.

Bom, minha intenção não era dar um super destaque para as marcas do Projeto Lab, afinal ainda temos muitas outras que desfilaram na quinta e na sexta, mas vamos concordar que eles merecem, afinal não é fácil dar continuidade ao trabalho principalmente nesses primeiros momentos da carreira, e não sei se vocês perceberam, mas eu adoro quem tá metendo a cara no mercado!! Até mais.

Fotos: Chic (Charles Naseh)





Casa de Criadores – Primeiro Dia

28 05 2009

Começou ontem a 25ª CASA de CRIADORES, evento que acontece em São Paulo e é a maior plataforma para novos criadores do Brasil comandada por André Hidalgo desde 1997. Nessa temporada são três dias de desfiles no Shopping Frei Caneca.

Ontem aconteceram os desfiles das marcas Urussai, Karin Feller, R. Rosner, João Pimenta, Ianire Soraluze, Milena Hamaní e Der Metropol. Vou fazer um apanhado de algumas imagens pra falar um pouco dos desfiles mais interessantes.

Gustavo Silvestre - Casa de CriadoresDer Metropol - Casa de Criadores

Estampas O desfile de Gustavo Silvestre (Foto 01) foi inspirado por um caleidoscópio e uma estampa trabalhada de várias maneiras nasceu dessa idéia. Gostei também da estampa de cactus da Der Metropol (Foto 02).

Der Metropol - Casa de CriadoresIanire Solaruze

Vibração do Verão Na estação que chegará todo mundo se permite a cores mais vibrantes. Prova disso é que na Der Metropol (Foto 01) não tem problema nenhum homem usar pink, mas claro que com aquela estampa de cachorro bem masculina. Já para Ianire Solaruze (Foto 02), tons claros, neutros e mais densos caminham todos juntos, incluindo um amarelo legal com estampa metalizada na superfície. É importante citar que a estilista Ianire Solaruze foi a vencedora na categoria Estilista Revelação no Prêmio Moda Brasil, apesar de no site do prêmio constar que ele é do Rique Castro da R.Groove (como assim?!?).

João Pimenta - Casa de CriadoresJoão Pimenta - Casa de CriadoresJoão Pimenta - Casa de CriadoresJoão Pimenta - Casa de Criadores

Masculino Enviesado Na minha opinião (e acho que de muitos por aí), o desfile de João Pimenta é sempre o mais aguardado da Casa de Criadores, isso porque suas coleções masculinas são sempre super elaboradas, mostrando a maturidade do estilista. João Pimenta desde a temporada passada vêm estudando elementos do guarda-roupa feminino para pincelar seu masculino.  Na busca por conforto na alfaiataria, João fez toda a coleção com corte em viés, deixando tudo mais fluido e amplo. Nessa estação sua inspiração foi no universo caipira, mas olhando para figuras da roça que carregam certa elegância. Junte tudo isso e veremos uma coleção muito interessante, cheia de pequenas novidades para a silhueta masculina, e que pode funcionar bem também na loja. Outro grande destaque é a cartela de cores (como se vê nas imagens), que começa no branco e vai escurecendo sutilmente, até chegar aos tons terrosos, representando bem as nuances e personagens desse universo que João Pimenta escolheu, colocando essa  coleção desde já como uma das melhores da semana.

Hoje e amanhã ainda acontecerão mais 19 desfiles e intervenções. Prometo falar mais.

A cobertura completa têm no Chic – Gloria Kalil. Todas as fotos foram retiradas de lá e são de Charles Naseh.

(Aliás, senti falta das fotos do desfile de beachwear de Milena Hamani no site, o que acontece? A mesma pergunta eu ando fazendo pro site oficial do evento, sem atualização nenhuma até o momento desse post)





Dragão Fashion 2009: Outros Olhares!

5 05 2009

Bom, como eu tinha prometido (e bem que demorou) depois de uma visão das marcas de jeanswear + populares do Dragão Fashion 2009, agora os olhares serão para os novos (ou nem tanto) criadores da cena local de Fortaleza, que nessa edição do evento se mostrou muito bem.

Lindebergue Fernandes - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoLindebergue Fernandes - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoLindebergue Fernandes - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoLindebergue Fernandes - Dragão Fashion 2009 - Divulgação

Lindebergue Fernandes - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoLindebergue Fernandes - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoLindebergue Fernandes - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoLindebergue Fernandes - Dragão Fashion 2009 - Divulgação

Lindebergue Fernandes

Em todos os eventos do Dragão Fashion, a imprensa especializa têm o costume de colocar o estilista Mark Greneir como o nome local mais representativo nos desfiles, mas na minha opinião depois dessa edição não há ninguém mais representativo do que Lindebergue Fernandes, que começou em 2002 dentro de um concurso do próprio evento, e nessa temporada fez sem dúvida a melhor coleção.

Com o tema Natividade, Lindebergue acredita que há um movimento de retorno às cultura nativas: brasileiras, americanas, asiáticas e africanas. Mas também está muito ciente de que habitamos em um mundo sem fronteiras, conectados ao mesmo tempo às tradições de nossa cultura de origem e à assimilação de novas culturas. Somos ‘novos nativos’. O estilista nos fala da London de Caetano e me vêm a cabeça à cantora Cibelle e seu estilo tropicalismo-vintage, ainda repleto de referências oitentistas. São dessas pessoas que Lindebergue quer falar, e pra isso usa punhos de rede, rendas, franjas, tinturas manuais no jeans e aplicações para criar as mais interessantes texturas artesanais em peças sobrepostas e dramáticas com um clima de sertão nordestino. Mas esses ‘novos nativos’ também usam xadrex, calças cenoura, super-skinny, ombros ‘pontudos’, modelagem com formas geométicas e óculos ray-ban, e por isso parecem estar em qualquer cidade do mundo. É aí que local e global andam de mãos dadas e toda a coleção flui muito bem tanto para as mulheres quanto nos poucos looks masculinos. Espero que esse conceito também esteja bem distribuído nas prateleiras quando chegar nas lojas (onde será que vende?), por que se tiver oportunidade de encontrar quero muito uma peça dessa coleção, ela fala muito.

Gilvania Monique - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoGilvania Monique - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoGilvania Monique - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoGilvania Monique - Dragão Fashion 2009 - Divulgação

Gilvânia Monique

É até um pouco de covardia colocar esse desfile logo depois do Lindebergue, mas é pra mostrar como mesmo sem muita ‘ousadia’ dá pra afirmar um amadurecimento interessante para o artesanato e a produção local. E foi o caso de Gilvânia Monique, que fez da renda e de outros trabalhos manuais de costura parte de itens clássicos (em preto e branco) e bastante desejáveis, criando uma coleção contemporanêa e sem estereótipos.

Melca Janebro - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoMelca JanebroMelca Janebro - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoMelca Janebro - Dragão Fashion 2009 - Divulgação

Melca Janebro

Quem também começou pelo Dragão e já passou pelo RioModaHype é a estilista Melca Janebro. Nessa edição, pensou em retornar às origens da marca (há um curioso movimento de marcas “novas” buscando suas origens…vai entender). E nas origens se encontra o patchwork, que sempre nos traz a lembrança daquela toalha de mesa no interior. Melca Janebro sempre teve esse espírito brasileiro, mas a inspiração no artesanato libanês trouxe tons mais escuros e estampas que renovaram um pouco o repertório da estilista, que mesmo assim não deixou de recair em alguns momentos ‘patchwork de qualquer coisa’. Pontos super positivos foram o lançamento de uma coleção de mochilas estampadas e uma coleção infantil, que têm tudo a ver com o trabalho da estilista, pois as roupas coloridas e com cara artesanal, combinam muito com a criançada. A está estilista aposta nesses novos mercados. E eu apoio ela.

Iury Costa - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoIury Costa - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoSIS - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoUFC (Concurso dos Novos) - Dragão Fashion 2009 - Divulgação

Iury Costa (1/2) SIS por Natália e Larissa (3) e UFC (4)

Iury Costa começou no úlimo Dragão dentro do concurso de novos, e agora fez parte do line-up do evento. Apesar de existir um ar de Uma por Raquel Davidowicz, a coleção como um todo é legal, bem alinhada, e tem um mix interessante de peças. Eu gosto das estampas e dos colares, mas pareceu faltar uma assinatura mais forte do estilista. Questão de tempo?

Quem tabém entrou no line-up após participar do concurso de novos criadores foram as estilistas Natália e Larissa, que agora assinam como SIS (as duas já apareceram aqui com suas criações figurando no post sobre as inscrições para o concurso desse ano). Elas propõem uma viagem global, mas no fundo ficam presas a estereótipos e poucas silhuetas, como longos vestidos que parecem datados, criando um conjunto confuso, sem identidade. Não foi dessa vez meninas!

O que também não rolou (mas aconteceu) foi o Concurso dos Novos. Trabalhos fracos e um resultado que eu não entendi direito.  Com o tema Lendas do Brasil, a Universidade Federal do Ceará fez uma coleção de forte expressividade, com uma cartela simples, e uma modelagem e trabalho artesanal bem estruturado. Usou com respeito a pintura na cara de inspiração indígena (como também usou a SIS), mas perdeu o primeiro lugar para a Unipar, do Paraná. Será que não quiseram dar o prêmio à uma universidade local pra não parecer marmelada? A UFC bem que merecia.

Tarcisio Almeida - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoTarcisio Almeida - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoTarcisio Almeida - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoTarcisio Almeida - Dragão Fashion 2009 - Divulgação

Tarcísio Almeida

Tarcísio é baiano, e quebra um pouco com o que esperamos ver em um evento nordestino. Seu olhar minimalista, com cartela clássica (preto/branco/vermelho), dá vazão para que ele possa extravazar nas formas, estudando e retrabalhando modelagens. Apesar de alguns momentos de exagero, Tarcísio Almeida traz peças onde pequenos detalhes falam muito mais, e funcionam na vida real. Não tem pra que exagerar não é! Agora só falta dar um pouco mais de personalidade pra coleção, senão fica com essa cara de estilista findanlês. Mas ora, não era eu que falava em quebrar o ‘nordestino’? É, mas eu lembrei agora do Lindebergue Fernandes, adoro os ‘novos nativos’, isso sim tem assinatura.

Enfim, para a ver a cobertura completa do Dragão Fashion e tirar suas próprias conclusões é só acessar o site aqui.





Dragão Fashion 2009: Novos Eixos!

24 04 2009

Essa foi uma semana de fortes notícias para a moda brasileira: Há pouco saiu a notícia de que Tufi Duek, que vendeu suas 04 marcas (incluindo seu nome) para a AMC Têxtil, saiu da direção criativa dessas empresas, ou seja, se afastou completamente de tudo que envolve a Forum, Forum Tufi Duek, Tufi Duek e Triton. A outra notícia é de que a partir de julho (e em um contrato de 10 anos) o diretor criativo da São Paulo Fashion Week, Paulo Borges, também será o diretor do FashioRio, segunda maior semana de moda do país. Resumindo, as duas maiores fashion-weeks do país estarão a partir de agora unidas. Como, ainda não se sabe.

A união dos dois calendários mais bombados da moda brasileira com certeza irá fortalecer o eixo rio-sp e os estilistas que lá transitam, mas por outro lado, mesmo com a confirmação dessas semanas como as principais difusoras de tendências e geração de negócios, há alguns meses já venho percebendo como alguns eventos regionais vieram mais fortes e melhor organizados e como existem marcas que optam por mostrar seus trabalhos, por questões estratégicas ou apenas financeiras, apenas durante essas semanas que acontecem em algumas capitais do país.

Já falei do Santa Catarina Moda Contemporânea (que é mais experimental), temos também o DonnaFashion, que aconteceu Florianópolis e Porto Alegre e ainda teremos o Capital Fashion Week, de Brasília. Mas vim aqui hoje pra falar do Dragão Fashion, evento que comemorou 10 anos de existência entre os dias 05 e 08 de março.

Desde seus primeiros anos acompanho o Dragão por se tratar de um eixo da moda que ainda é pouco reconhecido, o da indústria nordestina, e esse evento mostrou o amadurecimento da produção e de muitos criadores locais. Decidi dividir minhas impressões em dois posts. Deixo para depois os novos criadores e nomes da região e fico agora com três marcas consideravelmente grandes do segmento de jeanswear que optaram em mostrar seus trabalhos apenas durante o evento: King55, Handara e Osmoze.

King55 - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoKing55 - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoKing55 - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoKing55 - Dragão Fashion 2009 - Divulgação

King55

Decidi falar dessas marcas pois elas me mostraram muito bem como digerir as tendências e fazer coleções comercias mas bem antenadas, pois tem mais tempo para traduzir as referências apresentadas no Rio e em São Paulo, por exemplo.

A King 55 (São Paulo) trouxe aquela mistura punk-street-80 que ainda faz a cabeça de muita gente, sem o over de estampas do passado e com texturas interessantes. O óculos tipo ray-ban colorido que todo moderninho têm ou quer consta, e a legging dourada ou pink à la american apparel, que a gente já vê até em loja de departamento, tinha que constar com certeza.

Saindo desse universo ‘legging dourada com macacão e ombreira’ entramos agora numa outra onda que tá pegando: o étnico-folk-com-um-pouco-de-cowboy. É isso mesmo, a Handara, confecção de Fortaleza mas com boa distribuição nacional, misturou tye-die, xadrez, lenços “meio” palestinos, botas, franjas e chapéus com os jeans da sua marca e mostrou como essas referências ainda têm muito chão no mainstream e até fica legal quando a marca mistura tudo mesmo e pronto, deixando tudo mais urbano.

Handara - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoHandara - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoHandara - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoHandara - Dragão Fashion 2009 - Divulgação

Handara

Outra marca que mostrou seu trabalho em Fortaleza é a Osmoze, do Paraná, que contratou a modelo Izabel Goulart pra estrear sua campanha e têm planos de expandir seu mercado para consumidores mais abastados. Infelizmente, das três coleções que falo aqui (e percebam que King e Handara são voltadas para um público mais ‘massificado’) a Osmoze fez a mais fraquinha, por ser comercial até demais. O conjunto de chapéus-tiaras-colares-e-cintos querendo fazer um estilo mais folk não levantaram os looks, que tinham calças de cano baixo pras meninas e meninos e alguns tricôs básicos  que até funcionam. Mas sei lá, faltou sal em tudo. O que valeu mesm foi a iniciativa de apresentar sua coleção em uma semana de moda. Com o tempo a marca pode (e deve) arriscar mais.

Osmoze - Dragão Fashion 2009 - DivulgaçãoOsmoze - Dragão Fashion 2009 - Divulgaçãocbastosgsw@hotmail.comOsmoze - Dragão Fashion 2009 - Divulgação

Osmoze

Pelo que vimos aqui, pelos menos nas marcas de jeanswear, é que nesse inverno que vêm chegando com tudo (pelo menos por aqui por São Paulo) folk/étnico e punk/80 caminham juntos, não tão juntos assim,  mas na cabeça da maioria dos consumidores, e é por isso que essas marcas apresentaram suas coleções dentro dessas referências. Fica pros próximos dias um outro tipo de olhar, os dos jovens criadores, que nessa edição do Dragão Fashion trouzeram algumas boas surpresas.





Dois Podcasts de Uma Só Vez

18 02 2009

Pretensioso como esse blog vem se propondo, e pra compensar o ‘buraco’ de tempo sem posts por aqui devido à um viagem pra Fortaleza que rolou na última semana (depois conto mais), vou disponibilizar uma surpresinha Outra Costura para os esparsos visitantes desde blog que ainda dá seus primeiros passos.

Preparem-se para uma seção de podcasts ‘pra chamar de nossa’, com referências musicais que me interessam e que tem tudo a ver com o universo das ‘modas e modinhas’ desse blog. Pra começar, vou logo disponibilizando dois, é isso mesmo, dois podcasts pra embalar os ouvidos alheios.

Sempre tive interesse em trabalhar com podcasts. Utilizei um programinha bem básico e leve pra colar as músicas, o Reaper, e não se preocupem que o podcast não tem minha locução.  Hospedei os arquivos no PodOmatic, mesmo não sabendo se é a melhor plataforma pra isso, já que o streaming parece ser bem fraquinho. O melhor mesmo é fazer o download do arquivo e depois curtir no computador.

Podcast 01: Mix SPFW/FashionRio

PodOmaticStreamingDownload

Aqui algumas músicas que faziam parte do meu HD (ou não) e que foram usadas por algumas marcas como Giulia Borges, V.ROM, Uma e André Lima como trilha em desfiles da temporada de moda nesse último inverno.

01) Dr. Dog – Heart It Races
02) Fleet Foxes – White Winte Hymnal
03) The Dodos – Red and Purple
04) Yael Naim – Toxic
05) MGMT – Kids
06) Whitney Houston – I Have Nothing

——

Podcast 02: French Feeling

PodOmaticStreamingDownload

Desde o ano passado minha rádio oficial no iTunes é uma rádio francesa chamada Futuradio Sweet, com sons bem contemporâneos numa linha ‘ambient’, mas sem ser nada monótona. Como esse ano de 2009 é o Ano da França no Brasil, decidir entrar no clima e criar um podcast com os sons mais interessantes de alguns artistas franceses da atualidade, alguns mais conhecidos como  Vanessa Paradis, Sebastien Tellier ou a ultra-experimental Camille (que vêm se apresentar no Brasil), e outros que estão aparecendo agora ou são de uma cena mais alternativa. Tem tanta coisa bacana que eu escreveria horrores pra falar de tudo. Fica aqui meu destaque pros Dionysos, com o som mais diferente de todo esse grupo de músicas do podcast, que mistura sons do pop eletrônico, fortes influências da ‘chanson française’ e até traços africanos. Só ouvindo…

01) Camille – La demeure d´un ciel (Acoustic TV5)*
02) Emma Daumas – J´suis Conne
03) Dionysos – Mademoiselle Clé
04) Sebastien Tellier – Roche
05) Myléne Farmer – Apelle mon numero
06) Vanessa Paradis – Divine Idylle
07) Dionysos – Tais-toi mon coeur
08) Bertrand Soulier – L´ABCD
09) Christophe Maé – C´est ma terre
10) Loane – Jamais seule
11) Stanilas & Calogero – Le Déblâce de Sentiments
12) Gregoire – Toi Et Moi
*Todos as camadas de som dessa música foram criados ao vivo e pela própria camille (e sua boca). Vale a pena dar uma olhada no Youtube.