As Estréias de Helen Rödel

19 04 2010

Helen Rödel é uma expoente estilista gaúcha que desde 2007  começou  a chamar minha atenção com seu trabalho à frente da marca Rödel LA ( Latin America), baseado principalmente em peças criadas com a técnica artesanal do crochet e em outras tramas como tricot e malharia retilínia, que eram vendidas pela internet. A marca, que começou em parceria com Gulherme Thofhern, consegue aliar o trabalho manual “antigo” do crochet com uma imagem muito contemporânea, e isso é muito particular.

Entre 2009 e 2010, Helen Rödel fez três “estréias” (vou chamar assim) que mostram que a carreira da estilista está no caminho certo. A primeira grande estréia da estilista foi internacional. Em setembro de 2009 aconteceu a semana de moda da Islândia, que reúne jovens estilistas do mundo todo, e Helen foi a única latino-americana presente, mostrando um conjunto de sua trajetória na passarela. Em 6 meses, o nome de Helen chegou no SPFW em sua segunda “estréia”, através de um projeto em parceria com a 2nd Floor onde a estilista confeccionou máscaras de crochet para o desfile de Inverno 2010 da segunda-marca da Ellus. Só agora é a estilista fez uma “estréia” mesmo, desfilando dentro do evento Donna Fashion Iguatemi de Porto Alegre, onde Helen mostrou para o público gaúcho que é uma representante de peso para a moda da região. Espero ainda escutar muito esse nome, e que ele desde já fique direto no calendário de desfiles de Porto Alegre.

Deixo vocês com fotos das primeiras “estréias” de Helen Rödel e um vídeo compacto do desfile que aconteceu na semana passada…

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Desfile Donna Fashion Iguatemi – Abril 2010

Fotos feitas na Islândia por Eduardo Carneiro, que acompanhou a estilista em sua passagem pela Island Fashion Week (2009).

Máscaras criadas para desfile da 2nd Floor durante SPFW Inverno 2010.

Fotos: Site Helen Rödel





Capital Fashion Week: Quase Tudo!

27 03 2010

Um dos momentos que eu mais gosto no OutraCostura é postar coleções de estilistas brasileiros de uma nova geração que está se firmando por aqui, pouco a pouco, e por isso que dedici postar quase todos os desfiles que aconteceram em Brasília.

Em uma edição pocket, o CFW Inverno 2010 já me surpreendeu, pois senti que a cena brasiliense está se organizando cada vez mais e o investimento que o CFW veio dando aos novos estilistas começa a dar seus resultados. A vontade de criar uma geração de novos talentos não é só iniciativa deste evento,  já que uma instituição de ensino local, o IESB, apresenta coleções de alunos recém-formados em todo o calendário do distrito federal, e isso inclui as duas edições do CFW e o evento do ParkShopping.

O resultado de tanto incentivo é que em cerca de dois anos a cidade já começou a construir um conjunto de estilistas conhecidos na cidade, e que também começam a ultrapassar a pequena área do DF. Nomes como Sandra Lima e Sann Marcuccy comercializam suas peças no projeto Fernanda Yamamoto Convida, na loja da estilista na Vila Madalena (SP), e a mais nova notícia é que Akihito Hira, pra mim um dos mais interessantes estilistas dessa geração, fará parte do próximo Rio Moda Hype, que acontece dia 05 de junho no Cais do Porto (RJ).

O que é interessante nessa geração é que a maioria das marcas busca uma moda autoral, mas sem exageros ou idéias mirabolantes, os trabalhos também têm um foco comercial, o que melhora as chances dessas marcas de ampliarem seus negócios. Bom, com tanta positividade sobre o evento, só resta vocês verem as fotos e concordarem ou não comigo…

Sandra Lima Questionando nossas identidades, o trabalho de Sandra Lima consiste na construção orgânica e detalhada de coletes, e é o considerado o mais conceitual do evento.

Romildo Nascimento Inspirado na rigidez dos esportes, e ciente dos desejos da temporada, o estilista criou uma coleção dark-rocker misturada a elementos esportivos, como recortes e cadarços.

Eliel Salustianno A coleção Mulheres de Cristal, toda em tons de azul escuros e preto, foi bastante coesa, com formas femininas e tecidos com brilho à uma atitude mais atual, com zíperes. Tecidos aveludados e formas femininas como tubinhos e balonês tinham uma pegada

Akihito Hira Um dos selecionados no próximo Prêmio Rio Moda Hype, Akitiho Hira terá uma incrível coleção para representar bem Brasília (se essa for a coleção que ele levará). Nas comemorações dos 50 anos da capital, o estilista olhou para os construtores da cidade e trouxe uma coleção super bem amarrada, com peças versáteis e “reais” para o homem contemporâneo de Brasília e de qualquer lugar do mundo.

Camila Prado Ela é a única estilista a desfilar no CFW desde o primeiro evento. Nessa edição, Camila anunciou que lançara em breve outra marca, a LAMF, juntos com outros amigos. Talvez essa já tivesse sido a hora de lançar o projeto, pra animar a coleção inspirada no cotidiano da cidade.

Sann Marcuccy O estilista parece ser um dos queridinhos da cena brasiliense. Com uma coleção extensa ele mescla diversas referências, e traz a sustentabilidade no uso de refugos têxteis e tecidos com falha de impressão. A coleção tem boas peças, mas peca na edição, que perde um pouco o rumo no transcorrer do desfile.

Bom, esses foram os principais desfiles do CFW. Falando agora dos novos criadores que desfilaram apoiados pelo IESB, dos 3 selecionados posto aqui duas coleções, que olharam pra temas interessantes, e deixaram um pouco da funcionalidade arquitetônica que muitos estilistas propõem.

Ivan Hugo Considero essa a segunda melhor coleção de todo o evento, depois do Akihito Hira. O estilista Ivan Hugo pensou nos questionamentos que envolvem o apocalipse, pensando em seres pós-apocalipticos que ressurgem de nossos ancestrais. O mundo egípcio (sem o estereótipo comum) se mistura com trajes antigos e pinturas corporais em tons flúor. Já viu que a coisa é cheia de referências, mas a idéia teve uma representação bem interessante.

Èrika Duarte Misturando a Hitória da Feiura de Humberto Eco com a estética da obra de Tim Burton, a estilista Èrika Duarte mostrou que nem só de coisas belas se faz uma moda que desperta desejo.

Fotos: Cristiano Sérgio/Fotoforum

Mais fotos no flickr do evento.





Italianos em Brasília

25 03 2010

Pra quem ainda não sabe, 2011 será o Ano da Itália no Brasil, e pensando nisso, nesse ano a Capital Fashion Week fez uma parceria com a Embaixada da Itália e trouxe três marcas do país para participarem da pocket edition do evento, que aconteceu na semana passada. A marca mais comentada foi a Missoni, que lançará um loja na cidade (no ainda não inaugurado Iguatemi), conseguindo atrair a imprensa nacional com a vinda de dois representantes da tradicional família italiana criadora de tricôs, mas os trabalhos das outras duas marcas, Balestra e Mabro Antichi  Telai, também foram bem comentados.

Preciso dizer aqui, que nesta edição, gostei muito dos resultados dos desfiles das marcas do próprio distrito federal. Nesta pocket edition, as marcas locais de jovens criadores fazem o line-up, enquanto os projetos que envolvem comunidades de artesãos ficam para a edição de verão.

Ao invés de assustar as jovens marcas, os criadores italianos, ao meu ver, puderam mostrar uma “qualidade” (na idéia de um “design italiano”), que deve ser perseguida pelos estilistas brasileiros, não como uma cópia, mas como um parâmetro. Foram apresentados três segmentos distintos: a expertise no tricot da marca Missoni, a alfaiataria de Mabro, e a moda sob medida para a noite de Renato Balestra. Aqui algumas fotos dos desfiles, e as marcas locais vêm daqui a pouco em um post maior, é claro…

Missoni

Mabro Antichi Telai

Renato Balestra

Fotos: Crtistiano Sergio/Fotoforum





Renner: Preview Outono-Inverno 2010

11 02 2010

A Renner convidou sete stylists para coordenar peças da coleção de inverno 2010, que chegará as lojas a partir de março. Em uma iniciativa acertada, cada stylist criou três looks em cima de cada etiqueta da loja (Request, Marfinno…). Todos os looks fizeram parte da divulgação de um evento realizado no MuBE (SP).

Essa iniciativa da loja foi bem legal pra especular o que vai rolar na loja e nas ruas, mas infelizmente a loja só divulgou (ou realizou) fotos em estilo lookbook de um grupo de looks que eu posto aqui, o resto das fotos são tremidas e muitos improvisadas, não ajudaram muito, mas pra quem quer ver é só ir no hotsite. Todos os grupos de looks são bem legais e cheios das apostas para a próxima temporada, além de serem uma aula de como o styling é uma atividade muito importante pra criar imagens e desejos de consumo.

Looks de Ana Strumpf e Gi Macedo

Looks de Rita Lazzarotti e Thiago Ferraz

Looks de Cris e Fernanda (Oficina de Estilo); e Juliano Pessoa e Zuel Ferreira

Nos looks, dá pra ver que a Renner têm todos os estilos (como promete) e traz peças chaves do fast-fashion como as ankle-boots, casacos de couro, micro-sorts (mesmo no inverno), paetê, tacha,s e até coletes de pele falsa (“tendencinha” que eu particularmente não assimilo, mas que não está nessas fotos). Eu gostei mesmo do estilo vintage-folk-boêmio dos stylists Ana Strumpf e Gi Macedo.

A Renner fez uma coisa que todas as lojas de departamentos precisam investir e já. Se marcas menores conseguem fazer lookbooks com determinadas coleções, por que Renner, C&A e Riachuelo não poderiam. Acho esse tipo de divulgação, seja em lookbook com modelos ou em still, é muito bacana pra despestar o desejo de consumo de um público que busca informação de moda. Quem sabe assim não teremos em breve o tipo de divulgação que rola nos EUA via  Nitro:licious, um site que na sua maioria, é especialista no que rolam nas lojas de departamento.

Fotos: Lojas Renner.





Gostosas Coincidências: Casulo de Tricô

28 01 2010

Essa não só uma gostosa coincidência, como parece também aconchegante. Nos dias de muito frio (se é que isso existe fora do sul do país), bom mesmo seria entrar num casulo de tricô e não sair mais. Por isso Osklen (foto 01) e Fábia Bercseck (foto 02) trouxeram nesta edição do SPFW dois casulos que fazem até um casalzinho, o masculino mais sóbrio (e com bolsos) e o feminino, tipo poncho,  mais curtinho e com franjas na barra. Mas atenção: não recomendamos esse tipo de peça para claustrofóbicos.

Fotos: Portal FFW





Gostosas Coincidências: Amarração de Moletom

28 01 2010

Alguns acham cafona, outros acham prático, mas é certo que não tem truque melhor no inverno do que amarrar o moletom na cintura quando o calor aumenta ou quando a gente entra em algum lugar mais quente. Acontece que nessa temporada esse truque da amarração já foi direto pra roupa. Quem usou e abusou (até demais) desse tipo de modelagem foi a Amapô (foto 01), que vez a maioria das peças do desfile com uma amarração abaixo da cintura. Mas longe de ser a única, também achei essa amarração na Giulia Borges (foto 02), só que um pouco mais acima da cintura. O curioso, nos dois desfiles, é que parece manga mesmo (com direito a punho e tudo).

Fiquei tão fissurado nessa gostosa coincidência, que  também achei que na Triton (foto abaixo) essa modelagem tinha aparecido, mas ainda acho que é apenas um cardigan amarrado na cintura, com direito a mão no bolso e tudo.

Fotos: Portal FFW





GC: Meu casaco de “patch” geométrico

27 01 2010

A Cantão (Foto 01) e Coven (Foto 02) trouxeram no jeans uma das gostosas coincidências da estação: casacos de patchwork. Enquanto na Cantão o efeito é apenas de lavagem, na Coven a mesma inspiração militar também dá lugar aos patchs que misturam tricôs.

Para os meninos, o patchwork é super simétrico na R.Groove (foto 01),  em azul jeans, mas também tem um patchwork geométrico e bagunçado da Redley, em naylon, e que eu admito que gostaria de ter… 🙂

Fotos: Portal FFW