SPFW – Coisa de mãe e filha

21 06 2009

Em vez dos destaques do sábado na SPFW, vamos falar de uma coisa ‘fofa’ da semana de moda paulista: as marcas mãe e filha, que desfilaram no terceiro e quarto dia.

Huis ClosMaria Garcia

Huis Clos e Maria Garcia As marcas de Clô Orozco, como em todas as edições, dão um show de modelagem e qualidade nos tecidos. Apesar de na mãe Huis Clos, assinada por Sara Kawasaki, detalhes esportivos e nós serem o mote das peças, e na Maria Garcia assinada por Camila Cutolo a inspiração tenha vindo dos filmes de Tim Burton, nessa edição as duas marcas estiveram como nunca super ligadas numa identidade maior, que talvez esteja na figura de Clô Orozco.

Gloria CoelhoCarlota Joakina

Gloria Coelho e Carlota Joakina Nas duas marcas, a vontade de experimentar, mas a Carlota Joakina ainda têm muito caminho pela frente para conseguir chegar no nível de refinamento que Gloria Coelho aumenta a cada edição.

Ellus - SPFW Verao 20102nd Floor - SPFW Verao 2010

Ellus e 2nd Floor As marcas comandadas por Adriana Bonzon têm como principal foco o jeans, e ambas apresentaram opções clarinhas para esse verão. Um fato curioso nas duas coleção foi o trabalho com superfícies vazadas. Na Ellus, corte à laser e aplicações de ilhoses remetiam ao universo dos motoqueiros de onde a marca tirou sua inspiração. Na 2nd Floor, moletons foram trabalhados com bordado richellieu (como nas toalhes de mesa nordestina), formando desenhos militares que compunham a inspiração que nasceu da figura do soldadinho de chumbo e da bailarina, uma preciosidade.

—–

Fotos: Agência Fotosite/Divulgação





Semanas de Moda no Brasil: A Imprensa Internacional

26 01 2009

Desfile Neon - Inverno 2009 - Foto AFP/GettyImagesDesfile Alessa - Inverno 2009 - Foto Ricardo MoraesDesfile Cavalera - Inverno 2009 - Foto Andre Penner

Desfile Espaço Fashion - Foto Ricardo MoraesDesfile Huis Clos - Inverno 2009 - Foto Andre Penner

Tanto o Fashion Rio quanto o São Paulo Fashion Week investem na vinda de jornalistas estrangeiros para conhecer os eventos e consequentemente divulgá-los ‘around the world’. Isso é importante pra divulgação das marcas e da indústria nacional como um todo. Mas qual é a repercussão real disso na mídia internacional?  Dei uma pesquisada pelo Google sobre a São Paulo Fashion Week  e achei alguns resultados interessantes em inglês, além é claro do que rolou na cobertura dos blogs internacionais da V Magazine, do Style.com, o HintMag (com a cobertura mais completa e com críticas super bacans), A Shaded View of Fashion, e o portal 360°Fashion, que estiveram por aqui.

Em primeiro lugar, é claro que onde têm Gisele Bundchen, têm mídia na certa, e do mundo inteiro. Sua participação no desfile da Colcci figurou vários jornais, inclusive no China Daily (adoro!). Agyness Deyn (que veio pela Ellus) também apareceu em alguns lugares, como o The Age (Australia), mas claro que ao lado de Gisele. Este jornal coloca como “top designers” que figuram no SPFW as marcas Alexandre Herchcovitch, Osklen, Colcci, Cori, Ellus and Maria Bonita. O site do jornal Toronto Sun colocou uma galeria de fotos de alguns desfiles (abrindo com Gisele, é claro). Iniciativa bacana também do The Seattle Times, que abriga uma galeria de 73 imagens do Rio e São Paulo (a ‘Brasil Fashion Week’ pra eles), dando o maior destaque (no número de fotos) para a Cavalera (6), Espaço Fashion e 2nd Floor (5); além de Triton, Acquastudio, Graça Ottoni, Victor Dzenk, TNG, Tessuti, Huis Clos e Alessa (todos com 4 fotos). Ah!, na galeria do Toronto Sun a Triton ficou na liderança disparada com seu desfile ‘british-punk-westwood’… Mas quem ‘destrui’ mesmo foi a marca Neon, que com seu desfile poser-duplas-vintage ganhou uma galeria própria no site do New York Post.

Imagens da moda brasileira pelo mundo, na sequência: Pose em dupla no desfile da Neon (New York Post), fundamento chic-vintage que deu certo! O mega antúrio do cenário da Alessa e o desfile ‘boi-bumbá-punk’ cheio de penas e estampas de índio da Cavalera (The Seattle Times). Na horizontal: O desfile da Espaço Fashion, ‘gelado’ mas com gostinho carioca; e a fila-final-sexy da Huis Clos (The Seattle Times).

UPDATE – Saiu no dia 24 uma coluna bacana do Vitor Ângelo (que também comanda o dus*infernus) na Folha de São Paulo falando sobre como muitos editores internacionais acharam o uso de preto na SPFW excessivo, sentido falta das cores e da criatividade da estamparia que se espera do Brasil. É, as imagens acima comprovam um pouco isso.





São Paulo Fashion Week:O Velho e o Novo

26 01 2009

(Este post está sendo escrito novamente, o WordPress bugou e eu perdi tudo)

 

A São Paulo Fashion Week começou (e já acabou). Foi uma semana de coleções cinzentas como a paulicéia que fez aniversário ontem, e apesar da temática do evento ser ‘brasileirismos’, com direito a exposição sobre Carmen Miranda (odeio estar longe), outra inspirada no ícone ‘smile’ (não entendi muito) e boléias de caminhão decorando os corredores, muitos estilista preferiram ir a Berlim, Holanda, Rússia e Escandinávia, tornando tudo mais brasileiro-miscigenado ainda.

Durante toda a semana eu fiquei pensando muito sobre um assunto: a questão do ‘velho’ e do ‘novo’ no mundo da moda. Primeiro começando por esses elementos de brasilidade que ainda dão muito caldo, como citou o Chiqueiro Chique (no Flickr da Marina também têm algumas fotos), fazendo nossa imagem de Brasil pelo mundo.

Durante o segundo dia, foi Ronaldo Fraga que nos fez pensar escalando para sua coleção apenas idosos acima de 70 anos e crianças pequenas pra falar sobre o tempo, sobre a imagem de corpo e idade que o mercado constrói incalsavelmente, sobre o efêmero da vida como um risco de giz. Foi um novo ‘olhar’ do estilista para o mundo da moda.

Ronaldo Fraga Inverno 2009 - Foto Charles Naseh - chic.com.brRonaldo Fraga Inverno 2009 - Foto Charles Naseh - chic.com.brRonaldo Fraga Inverno 2009 - Foto Charles Naseh - chic.com.brRonaldo Fraga Inverno 2009 - Foto Charles Naseh - chic.com.br

Ainda no segundo dia, Alexandra Farah (do FilmeFashion) fez uma coluna para o IG com o título “fast-fashion dá lugar ao slow-fashion“. A matéria foi instigada por um texto do NY Times que fala como as ‘modas’ andam demorando muito pra mudar. Os óculos brancos, os paetês, as tachas… tudo já anda por aí há muito tempo, e parecem que ainda vão durar mais ainda. Será que nesses tempos de ‘banda larga’ não somos nós que andamos com pressa demais? Bom, o que nos resta é ver os paetês deformados de Alexandre Herchcovitch (e em versão mais clássica por Wilson Ranieri); além  das franjas à gaucha da Forum Tufi Duek e o efeito “franjado” da Osklen.

Herchcovitch Inverno 2009 - Foto Charles Naseh - chic.com.brWilson Ranieri - Inverno 2009 - Foto Charles Naseh - chic.com.brForum Tufi Duek  Inverno 2009 - Foto Charles Naseh - chic.com.brOsklen Inverno 2009 - Foto Charles Naseh - chic.com.br

Dessa forma, pensando nesse velho/novo que caracteriza a moda e ‘assombra’ alguns estilistas, influenciando no ‘tal dna da marca’ (como no post aí embaixo), foi no terceiro dia do SPFW que o melhor lado dessa história deu as caras. Foi a Huis Clos, que em tempos de calças fofas-largas e macacões quadrados em tudo que é desfile (e isso é a cara da marca), surpreendeu e trouxe pelas mãos de Sara Kawasaki a coleção mais sexy e refinada da semana, mostrando como nada é mais gostoso do que renovar o repertório de vez em quando. Quem diria, a Huis Clos têm a calça skinny e o mini-tomara-que-caia mais elegantes da estação.

Huis Clos Inverno 2009 - Foto Charles Naseh - chic.com.brHuis Clos Inverno 2009 - Foto Charles Naseh - chic.com.brHuis Clos Inverno 2009 - Foto Charles Naseh - chic.com.brHuis Clos Inverno 2009 - Foto Charles Naseh - chic.com.br